Pedro Pedrossian deixou grandes obras como legado para MS

.  

Aos 89 anos de idade, o ex-governador Pedro Pedrossian (PMN) veio a óbito na madrugada de terça-feira (22). Ele faleceu enquanto dormia em sua residência, de acordo com seus familiares. Por duas vezes, Pedrossian foi governador de Mato Grosso do Sul, deixando um legado de grandes obras para o Estado.

Pedro Pedrossian nasceu em Miranda, no então Estado de Mato Grosso, no dia 13 de agosto de 1928, filho de João Pedro Pedrossian e Rosa Mardini Pedrossian, ambos de origem armênia.

Após concluir os estudos secundários no Mato Grosso, o ex-governador decidiu se graduar em engenharia civil pela Universidade Mackenzie, em São Paulo. Concluídos os estudos, ele voltou para o Mato Grosso, como engenheiro residente da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, em Três Lagoas.

Após seguir carreira nas ferrovias de Campo Grande e de Bauru, foi eleito governador pelo então PSD, em 1965, para o Estado de Mato Grosso. Foi o candidato a governador mais votado em toda a história de Mato Grosso, com 109.905 votos.

Em 1971, perdeu o governo do Mato Grosso após a eleição de José Fragelli pela Assembleia Legislativa do Estado. Em 1978, foi eleito como senador, filiando-se em 1979 ao PSD.

Em 1980, após a deposição de Marcelo Miranda e Harry Amorim no governo de Mato Grosso do Sul, Pedrossian foi nomeado como governador do Estado pelo então presidente João Figueiredo, renunciando ao posto de senador até 1982.

Em 1991, foi reeleito para o posto de governador. Em 1998, Pedrossian tentou se reeleger para o governo. Seu nome não foi para segundo turno, e o ex-governador decidiu apoiar Zeca do PT, que se elegeu na época. Confira abaixo as principais obras do ex-governador:

Teatro Glauce Rocha

A inauguração do Teatro Glauce Rocha ocorreu ao fim da gestão de Pedrossian como governador do Mato Grosso, em 1971. Coincidentemente, o Teatro foi palco para a assinatura da divisão dos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, em 1979.

Estádio Morenão

O maior estádio de futebol de Mato Grosso do Sul, o Morenão leva também o nome do ex-governador, como Estádio Pedro Pedrossian. Ele foi inaugurado na gestão do “homem de Miranda”, na época da fundação da UFMS, quando ainda era a estadual do Mato Grosso.

UFMT

A UFMT foi inaugurada em 1970 na gestão de Pedrossian à frente do Mato Grosso, com os primeiros cursos de direito, economia, engenharia, pedagogia, letras, entre outros. Em 2010, o ex-governador recebeu título de doutor honoris causa da Universidade, em comemoração aos 40 anos da criação da instituição.

UFMS

Concomitantemente a criação da UFMT em Cuiabá, haveria uma sede da Federal em Campo Grande. O campus da capital sul-mato grossense foi inaugurado em 1971, como a a antiga UEMT, com Complexo Aquático e Restaurante Universitário iguais aos de Cuiabá, projetos pelo arquiteto Avedis Balabanian. A Universidade só se torno UFMS em 1977, com a separação dos Estados.

UEMS

A primeira unidade da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) foi inaugurada em Dourados, em 1993, na segunda gestão de Pedrossian. O ex-governador foi homenageado na cerimônia de inauguração do campus de Campo Grande da Universidade, em 2015.

Parque dos Poderes

O projeto da sede administrativa do governo de Mato Grosso do Sul teve início em 1981, na gestão do Pedro Pedrossian. O ex-governador abriu concurso para escolha de projetos arquitetônicos, e seus arquitetos viajaram para Estados como Rio de Janeior, Salvador e Paraíba para se inspirarem nos centros administrativos de outros Estados.

Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo

Algumas das obras do Parque dos Poderes não foram concluídas na gestão inicial de Pedrossian à frente do Estado, mas sim em sua segunda gestão, em 1991, como o Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo. O espaço foi escolhido como local para seu velório.

Fonte:  Midiamax

Comentar